Acessibilidade: A+ A() A-

 Notícias  Fique por dentro das novidades na CAESA

Governo entrega 500 kits de tratamento de água às comunidades ribeirinhas do Bailique

Por: Cássio Albuquerque - 28/11/2018 - 15:03:35

Solenidade de entrega dos kits ocorreu nesta segunda-feira, 19, no Palácio do Setentrião

Solenidade de entrega dos kits ocorreu nesta segunda-feira, 19, no Palácio do Setentrião

Com a proposta de promover a melhoria da qualidade de vida da população ribeirinha, oferecendo métodos alternativos para o tratamento da água dos rios, na manhã desta segunda-feira, 19, o Governo do Amapá realizou uma entrega simbólica de 500 kits de tratamento domiciliar para representantes das comunidades do Arquipélago do Bailique, pertencente ao município de Macapá.

A ação é parte do planejamento do estado no atendimento humanitário às comunidades da região (distante cerca de 12 horas de barco da capital) afetadas pelo fenômeno das terras caídas. Representantes das localidades de Andiroba, Buritizal, Franco Grande, Jaburuzinho, Ponta da Esperança, entre outras, participaram do evento.

A população dessas comunidades depende, exclusivamente, da água dos rios para a sua sobrevivência. O difícil acesso e as erosões provocadas pelo fenômeno impedem que o poder público realize a construção de estrutura de sistemas de fornecimento de água fixos, em razão do risco constante do desabamento das terras.

O governador do Amapá, Waldez Góes, destacou que a água tratada com a utilização dos kits de tratamento domiciliar é uma forma de promover a saúde de homens, mulheres e crianças ribeirinhas.

“Esta primeira entrega servirá como subsídio para que possamos fazer outras distribuições destes kits nos próximos meses. Contudo é importante destacar que, só neste primeiro momento, estamos beneficiando aproximadamente três mil pessoas que vivem nas comunidades do Bailique”, destacou Góes.

O diretor-presidente da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Valdinei Amanajás, enfatizou a importância social da ação, que é fruto de um projeto-piloto da companhia, que já atendeu mais de mil famílias.

“O kit foi desenvolvido pela Caesa, através do Núcleo Social, e já atendeu diversas comunidades. Essa entrega às comunidades do Bailique é um esforço conjunto do governo em oferecer políticas de assistência básica para as famílias que precisam de uma água devidamente tratada”, ponderou o gestor.

O kit é composto por uma caixa d’água de 150 litros, filtro, além dos seguintes produtos químicos: sulfato, cal e hipoclorito. O material ainda vem com um manual de instruções, que ensina como fazer o processo de tratamento. Em pouco mais de duas horas é possível tornar a água do rio pronta para o consumo.

Para o representante da comunidade de Andiroba, Nailson Façanha, a ação permite que as famílias utilizem a água tratada de forma sustentável, sem custos. “A gente depende da água do rio para tudo, pois muitos não têm condições de comprar água mineral. O kit será muito bom, pois permite que possamos tratar a água”, disse o morador.

Até o fim do mês de novembro, a equipe de governo fará a entrega dos materiais nas localidades do arquipélago.

Apoio conjunto

O governador Waldez destacou o trabalho da Defesa Civil Estadual, que fez o monitoramento das comunidades atingidas, a partir dos estudos realizados pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa). Desde 2015, esses estudos avaliam os danos causados pelo fenômeno. A erosão afeta o fornecimento de energia, a estrutura de escolas, unidades de saúde e outros prédios públicos localizados no arquipélago.

Sobre as medidas para conter o avanço da erosão, o chefe do Executivo ressaltou a importância da união dos governos municipal, estadual e federal, além do apoio dos parlamentares em Brasília, na elaboração de políticas e alocação de emendas.

“O estado vai continuar garantindo a ajuda humanitária e ações paliativas, mas precisamos debater com as demais instâncias as medidas definitivas para a solução dos problemas mais graves como o fornecimento de energia, construções de sistemas de abastecimento de água, o funcionamento das escolas e unidades de saúde”, alertou Góes.

Ação

Desde 2015, o governo do estado instituiu um grupo de trabalho permanente, comandado pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec), formado por diversas instituições estaduais, para realizar os estudos e também prestar assistência às vítimas da erosão causada pelo fenômeno das terras caídas. O avanço desse fenômeno está sendo monitorado pela equipe técnica do Iepa.

Também há a participação efetiva da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf), Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social (Sims), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec), Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) e Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Amapá (Imap).

Amapá